Projeto Para Trabalhar a Valorização Do Seu País pelo Brasileiro

Projeto Para Trabalhar a Valorização Do Seu País pelo Brasileiro
Trabalhar a relação de desvalorização que o brasileiro tem com o país a fim de otimizar a imagem deturpada e pessimista que o cidadão tem de sua nação através da divulgação de informações concretas, otimistas e atuais.

RESUMO
A fim de reverter a relação de desvalorização que o cidadão brasileiro tem com seu país,foi criado um projeto para divulgação das qualidades e melhoras do Brasil, no qual consistem campanhas de incentivo ao sentimento nacionalista; apresentação de dados e estatísticas da ascensão do país.

PALAVRAS-CHAVE: Brasil, desvalorização, mídia, incentivo ao sentimento nacionalista.

INTRODUÇÃO
Embora o Brasil seja palco de inúmeros atos de corrupção, possua vários conflitos que, superficialmente, o afastam da imagem de país idealizado e careça de alguns benefícios já obtidos por certos países de primeiro mundo, não se deve generalizar afirmando que o mesmo é de todo insatisfatório.

O brasileiro acha que qualquer país é bom de se viver menos o Brasil e, constantemente, ao ouvir críticas sobre o Brasil concorda com elas e ainda maximiza os defeitos comentados ⁷. Para contrapor informações como essas, foram levantados dados de avanço em diversos aspectos, tanto políticos como sociais, que revelam que o país está em constatnte ascensão. O brasileiro está preso às informações negativas que a mídia divulga diariamente sobre novos escândalos políticos e reportagens, já tradicionais, como a pobreza existente nas favelas cariocas e a falta de infraestutrura nas áreas menos favorecidas do país. Essas notícias veiculadas pelos meios de comunicação causam de imediato desconsideração, vergonha e muitas vezes um sentimento de incapacidade e inutilidade tanto daquele que recebe as notícias para com o país quanto para consigo mesmo, afetando assim, a relação do cidadão em mais de uma escala.

Esse sentimento reacionário para com o que é divulgado se reflete em vários tipos de conduta pública, em que o brasileiro se apresenta hesitante quanto à própria identidade e absurdamente cáustico quando ao seu futuro. Porém, o Brasil é muito mais do que isto. É o terceira maior democracia do mundo, o país com mais sucesso no combate à AIDS e a outras doenças sexualmente transmissíveis, sendo considerado exemplo mundial.

É através da divulgação de dados como esses que pretende-se trabalhar a relação de desvalorização que o brasileiro tem com o país a fim de otimizar a imagem deturpada e pessimista que o cidadão tem de sua nação e reforçar informações que não estão presentes no dia a dia do mesmo, que desconhece o quão potencializado seu país está. Ao introduzir esses registros de caráter atual, o que se almeja é que a relação de desvalorização que o cidadão tem com seu país seja invertida, ou ao menos suavizada.

OBJETIVO
Este trabalho tem como objetivo prático divulgar informações positivas - e desconhecidas por muitos, que - de avanço que o país obteve nos últimos tempos. Grande parte da população acredita que o país é somente mais um latino “parado” no desenvolvimento. Com a divulgação dos dados, visamos a melhora do conceito que o brasileiro tem de seu país, tal como a diminuição de opiniões negativas sobre o mesmo e melhora da autoestima da sua população. Como objetivo acadêmico, tem-se as consequências obtidas através do cumprimento do objetivo primário: trabalhar a autoestima do cidadão brasileiro e a confiança desse no seu país.

JUSTIFICATIVA
A ideia de trabalhar coma relação do brasileiro com seu país surgiu a partir de ideias diversas e aparentemente desconexas, porém todas relacionadas com a desvalorização de nosso país por parte dos seus cidadãos. Partindo de jovens com viagens ao exterior carimbadas no passaporte, sempre era focada a mesma indagação: “O que os outros países têm que o Brasil não tem?” E foi a partir desta que foi possível chegar ao atual tema, "Trabalhar a relação de desvalorização que o brasileiro tem com o país a fim de otimizar a imagem deturpada e pessimista que o cidadão tem de sua nação através da divulgação de informações concretas, otimistas e atuais”.

O cidadão brasileiro tem o estranho costume de desdenhar o próprio país em que vive, costume este que não é nada comum nas outras nações, como afirma Prof. Luis Almeida Marins Filho , em sua crônica a partir do tema “O maior problema do Brasil é a autoestima do brasileiro” que rendeu o Prêmio Nobel de Economia em 2000 para James Heckmen: Argentino não fala mal da Argentina para estrangeiros. O americano morre e não fala mal dos Estados Unidos para um não-americano. O alemão só elogia o seu país para os de fora. Mas nós brasileiros temos o incrível hábito de só falar mal do Brasil para nós mesmos e para estrangeiros. Quando o IBGE mostra dados cada vez mais positivos do Brasil, não acreditamos. Quando economistas do mundo inteiro elogiam o Brasil, dizemos que eles não vivem aqui e não sabem a “desgraça” que é este país. Mas quando alguém fala mal do Brasil – logo concordamos – e incentivamos, e ajudamos. (Luís Almeita Marins Filho, 2009)

A partir de trechos como o demonstrado acima, indagou-se o porquê dessa desvalorização da própria nação por parte do povo brasileiro, e viu-se a necessidade de ser tomada alguma iniciativa. O próprio ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva declarou para a imprensa em 2007 (rodapé) que, com as palavras do próprio, “o brasileiro é o único que adora falar mal do próprio país” e que “não vê nada de bonito na imprensa brasileira”. Ele critica as notícias negativas reproduzidas pela mídia e ressalta que só lê notícias negativas nas manchetes, como se a nação só tivesse pontos negativos.

Tendo como base a visível desvalorização de seu país por parte do brasileiro, e tendo em evidência que grande da responsabilidade pela atual relação é da falta da divulgação na mídia de pontos positivos do país, o presente grupo acredita ter encontrado a possível maneira de reverter – ou ao menos suavizar – esta deturpada relação. É do conhecimento de todos que para tratar de um problema, primeiramente precisa-se tratar do que o desencadeou. Sendo assim, confia-se que através da divulgação de pontos positivos e dados de ascenção do país, é possível despertar uma maior valorização do brasileiro para com sua nação.

MÉTODOS E TÉCNICAS UTILIZADOS
Buscando suporte em bibliografias, tanto impressas quanto virtuais e televisivas, o grupo veio acumulando dados de avanço capazes de inverter, ou ao menos amenizar, a imagem deturpada que o cidadão brasileiro tem de sua nação, podendo assim aumentar gradativamente sua autoestima através da proposta deste trabalho: a divulgação destes dados.
Queremos também mostrar que o Brasil - apesar de seus defeitos - não é o único país com defeitos. Foram pesquisadas também as falhas e lacunas nos sistemas administrativos e éticos de outros países, a fim de apresentar ao brasileiro os defeitos de outras nações, visto que o mesmo acaba por idealizar o bom funcionamento dos outros países (principalmente os chamados de ‘primeiro mundo’).
Um exemplo disso é a notícia sobre a falta de ética dos Estados Unidos por corte de recursos a Unesco , que trata da suspensão de contribuição econômica à Unesco feita pelo presidente Barack Obama - ao que se refere como ‘O prêmio Nobel da paz’ - após a agência ter votado e aceitado a Palestina como membro de pleno direito.

As referências do Brasil apresentadas por Marcos Ficarelli apresentam provas da imagem errônea do mesmo que os cidadãos possuem:
“Você não encontrará país como este”. Realmente você não vai. Esta é a razão por que o Brasil é tão mal entendido pelos que nunca o visitaram. As más notícias cotidianas que se esparramam pelo mundo inteiro sobre este país não tiram o bom humor de seu povo. "Não há país melhor para se viver" - eles dizem.

De fato, não há. O país tem demonstrado dados de ascensão absurdos se tratando de questões ambientais, financeiras, de indústria, comércio, escolaridade, entre outros. O Brasil não mais é aquele país subdesenvolvido que fica escondido atrás de outros países da America Latina; e sim, aquele país em grande desenvolvimento, grandes indústrias e grandes melhoras. Essa a ideia que será passada através da nossa campanha: Brasil: valorize-o.

PROCESSO
O Brasil se encontra entre os três países com maior desenvolvimento em 2011 , juntamente com China e Índia. Provas dessa ascensão podem ser notadas com o grande crescimento ambiental do país: as cidades grandes com edifícios modernos que se esparramam por todo o seu redor, o que gera uma paisagem deslumbrante para qualquer cidade. Do ponto de vista da indústria e do comércio, a indústria de elevadores é a segunda no mundo, o país é o terceiro maior fabricante do mundo de aeronaves comerciais e um dos maiores consumidores de helicópteros, perdendo somente para Nova Iorque. Além disso, é o quinto maior país no ranking de construção sustentável do mundo, sendo ainda o maior reciclador de alumínio (89%) do mundo.

No quesito financeiro, uma Argentina inteira ascendeu à classe média no Brasil ( 36 milhões de pessoas) e ainda surgiram 23 milionários por dia em 2011 no território brasileiro. O seu sistema financeiro é o mais informatizado do mundo, a indústria cinematográfica mais rentável da América Latina pertence ao Brasil e o filme de maior bilheteria na história do Brasil é brasileiro. Porém, o entretenimento no país não gira apenas em torno dos filmes, muito pelo contrário, o país é o 11° maior consumidor de livros do mundo e o 1° em leitura de conteúdo jornalístico em tablets. As eleições no Brasil são obrigatórias, 99% computadorizadas e a contagem fecha as 18 horas em todo o país (99 milhões de votos). Além disso, a agricultura no Brasil excede os 100 milhões de toneladas ao ano, sendo mais de 100, somente de grãos.

Feijões, frutas e vegetais, macarrão, carne e água boa. Obesidade e fome em nosso país é raridade. Visto de um avião, o verde escuro está por toda parte do país, das alamedas às florestas intermináveis. Não há nenhum país que se compare. Flores e frutas em todos lugares, de qualquer tipo em qualquer estação. Há três paisagens principais: cidades grandes, verde intacto e cidades em construção (muitas crescem sempre). Só 30% das terras disponíveis estão em uso (isso não é pouco).

A partir dos dados como os apresentados acima, foi formulada uma campanha publicitária para divulgar e introduzir esses dados no cotidiano do cidadão brasileiro. Serão utilizadas pequenas informações - porém relevantes - sobre a qualidade de algum setor/segmento da população divulgados em espaços urbanos e cotidianos, com o intuito de que todos cidadãos fiquem cientes. O objetivo não é chocar, e sim introduzir aos poucos uma nova maneira de julgar e encarar alguns aspectos do país, mudando o conceito que o brasileiro tem do mesmo.

Sendo assim, há grandes chances de uma melhora na autoestima do brasileiro - antes entorpecida - tendo em vista que o cidadão se encontra apenas cercado por notícias fazendo alarde de um mal funcionamento do próprio país. O que falta ao Brasil é um olhar próprio, uma avaliação própria do seu lugar na humanidade. Seria preciso construir uma “outra historiografia”, a favor do Brasil, oferecendo-lhe uma outra imagem, uma outra identidade, que permitisse ao povo brasileiro “se querer bem”. É é isso que queremos apresentar com a campanha através de frases motivantes que apresentam dados de ascensão do país. O brasileiro, ao ver que o seu país possui uma baixíssima taxa de desemprego comparado a países de primeiro mundo, ficar ciente de que surgem milionários a todo instante e saber que o mesmo combate o vírus do HIV com sucesso, possivelmente -após a campanha -, aprenderá a valorizá-lo mais, tendo em mente vários dados de sua acensão.

A campanha, que terá como slogan “Brasil: Valorize-o” será simples e direta, porém, não será simplória. Os dados apresentados não serão longos com o intuito de que, com uma olhada breve, aquele que os ler, já poderá ter noção do que se trata, se inteirar do que está acontecendo e assim, começar o processo de melhora na sua relação com o país. As campanhas levarão as cores do Brasil e os figurantes, juntamente com o símbolo de “Curtir” - muito conhecido e utilizado por usuários de redes sociais -, serão tal como as cores da população brasileira: diversificadas.
A intenção inicial, em termos visuais é a de prender a atenção do público sem delongas e informá-lo. Pretende-se fazer isso veiculando as campanhas em jornais, revistas, outdoor, busdoor, redes sociais, entre outros meios, sem restrição de público alvo, afinal, essa é uma campanha destinada a todos os brasileiros, sem restrição alguma. A campanha não tem seu término datado pois pretende-se continuar veiculando informações na medida em que elas irão aparecendo. Sendo assim, o brasileiro estará sempre ciente do que está acontecendo de bom em território tupiniquim e irá cada vez mais ter uma melhor relação para com o seu país.

CONSIDERAÇÕES
É notável por trechos como o de Prof. Luis Almeida Marins Filho apresentado, a baixa autoestima do cidadão brasileiro, pode-se justifica-la devido aos inúmeros problemas sociopolíticos econômicos que o país vem colecionando desde o momento em que foi colonizado.
Herdamos de Portugal e dos Bragança uma realidade política de opressão, corrupção, ignorância, tributos, uma administração arbitrária, a dilapidação de orçamentos. O povo brasileiro, desde o início, demonstrou possuir os dons essenciais para ser uma nação sólida e feliz: união, solidariedade, patriotismo, cordialidade. Mas, derrotada e anulada politicamente por Portugal, a nação brasileira ressurgia vigorosa e se afirmava na voz dos exaltados republicanos. Toda a opinião pública nacional era contra os excessos absolutistas do imperador, mas a divisão dos brasileiros em sua luta nacional foi fatal.

Trechos como o apresentado acima por José Carlos Reis pensam as origens do sentimento de inferioridade do brasileiro e da imagem que este tem do seu país como vindas da sua colonização Portuguesa e características que com essa vieram, mudando o conceito que o brasileiro tem do seu próprio país.

A ênfase dada a essas disfunções é extremamente grande e, no momento que o brasileiro passa a presenciar e a ter contato com dados apenas dessa categoria, ele passa a crer que essas são as únicas coisas que o cercam e as mesmas passam a influenciar diretamente no seu cotidiano e ufanismo. Após análises e pesquisas apresentados acima com dados sobre a ascensão do país ao se tratar de assuntos econômicos, tecnológicos e sociais e propostas serem feitas com o intuito de recuperar a auto estima do povo brasileiro, pode-se chegar a conclusão de que, com dados consistentes como os apresentados, o cidadão irá notar que pontos positivos também fazem parte do seu dia a dia e que evoluções estão presentes até em atividades corriqueiras, todavia são ofuscadas pelo grande turbilhão de más notícias que são destacadas a todo instante.

BIBILIOGRAFIA
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u304397.shtml

http://www.odiario.com/geral/noticia/181324/para-lula-brasileiro-so-fala...

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/62939_O+BRASIL+CRESCE+A+CADA+DI...