Os Olhos da Alma - Um livro-Reportagem Sobre a Superação de uma Pessoa Cega, na Cidade de Uberaba

Os Olhos da Alma - Um livro-reportagem sobre a superação de uma pessoa cega, na cidade de Uberaba

Noé dos Reis MAIA
Universidade de Uberaba, Uberaba, MG

RESUMO
O livro “Os Olhos da Alma” foi um trabalho feito para a disciplina “Trabalho de Conclusão de Curso”, do curso de Comunicação Social da Universidade de Uberaba (Uniube), sob orientação da professora Cíntia Cerqueira Cunha. O projeto visou trazer aos leitores da obra a capacidade de superação de uma pessoa que se tornou ainda criança. Morando na zona rural no município de Iturama-MG., foi levado para cidade de Uberaba-MG., onde recebeu os cuidados médicos, estudou, formou-se e constituiu família e trabalha até os dias de hoje.
As fontes entrevistas foram das cidades mineiras de Iturama e Uberaba.
O trabalho foi focado no sentido amplo da acessibilidade e no poder da superação do ser humano.

PALAVRAS-CHAVE: acessibilidade, superação, pessoa com deficiência, políticas públicas, dificuldades.

INTRODUÇÃO
A família de Flávio Garcia de Morais tem a sua origem no Nordeste brasileiro, no interior do Rio Grande do Norte, numa pequena cidade chamada Jucurutu, localizada, aproximadamente há 200 quilômetros de Natal, a Capital do Estado. Jucurutu, apesar do tamanho, é a segunda maior produtora de minério de ferro do Brasil.
A vinda da família Medeiros para o Pontal do Triângulo tinha objetivo pré-determinado: encontrar terras férteis e clima favorável para a agricultura, principalmente o arroz, o milho e o feijão. Também não dispensava a criação de algumas cabeças de gado.
A viagem durou em torno de dois meses, em caminhão “pau-de-arara”.
A família iniciou as atividades agropecuárias na cidade de Capinópolis, três anos depois fixou residência em Iturama-MG, onde alguns ali ainda estão.
Em Iturama, Flávio e suas irmãs nasceram. Ali ele contraiu sarampo aos 4 anos, a seqüela foi a perda da visão. Mas, isso não o impediu de realizar os seus objetivos: formar-se em Direito, casar-se e ter os seus filhos.

OBJETIVO GERAL
O projeto visa escrever um livro reportagem que traga à luz da leitura o poder de superação existente nas pessoas que traçam objetivos em busca de metas que pretendem atingir.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Mostrar à sociedade o poder da superação das pessoas com deficiência.
 Apresentar à sociedade as conseqüências da falta de políticas públicas governamentais;
 Destacar as conseqüências da falta de acessibilidade no seu amplo sentido.

Justificativa
Conhecer as políticas públicas e saber a importância da sua elaboração e implantação para todos os segmentos da sociedade, facilita no momento da escolha correta dos nossos representantes executivos e legislativos nas esferas municipais, estaduais e federal.
O livro reportagem relatando uma história real de vida de uma pessoa cega, com o cuidado de não fugir à realidade dos fatos para que o leitor possa conhecer detalhadamente a trajetória de vida de uma criança que, mesmo ficando cega ainda criança, conseguiu superar os obstáculos e se tornar uma pessoa, verdadeiramente cidadã.

MÉTODOS E TÉCNICAS UTILIZADAS
A princípio, foi realizado um contato com o personagem central do trabalho. Esse contato foi via telefone, visando obter o seu consentimento para relatar através de um livro reportagem, a sua vida.
O segundo passo foi a primeira entrevista gravada com o personagem principal, em fita cassete e várias anotações em um caderno.
Após a quarta entrevista com o mesmo personagem, outras fontes foram contatadas e entrevistadas.
Uma visita foi realizada na instituição onde o personagem central foi aluno interno durante o ensino fundamental.
A sogra e os filhos da principal fonte foram entrevistados individualmente na própria residência.
Na cidade de Iturama, sua mãe foi visitada para dar informações fundamentais para a conclusão do trabalho.
Várias fotos foram tiradas e anexadas no trabalho como forma de registro dos fatos.

REFERENCIAIS TEÓRICOS
BARCELLOS, Caco. Abusado – O dono do Morro Dona Marta. São Paulo: Record, 2005.
CAPOTE, Truman. A Sangue Frio. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
CASTRO, Ruy. Estrela Solitária – um brasileiro chamado Garrincha. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
HERSEY, John. Hiroshima. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
A leitura de vários livros reportagens – A Sangue Frio, de Truman Capote; Abusado – o dono do Morro Dona Marta, de Caco Barcellos - trouxe ao autor o embasamento que lhe faltava para o fortalecimento da sua maneira descritiva de escrever. As histórias que mais lhe chamaram a atenção foram Hiroshima, de John Hersey, e Estrela Solitária – um brasileiro chamado Garrincha, de Ruy Castro.
A riqueza de detalhes de cada cena dos fatos faz com que o leitor se envolva de tal forma que a continuação da leitura se torna uma necessidade.

DESCRIÇÃO DO PRODUTO
Um livro, em tamanho A5, papel sulfit 90 gramas, capa dura, contendo 105 páginas, aproximadamente. No formato de capítulos, com os textos distribuídos em títulos e sub-títulos. Conta a história de um advogado, cujos pais e avós migraram de Pernambuco para Minas Gerais, instalando-se no Pontal do Triângulo.
O livro traz toda a trajetória percorrida do advogado, desde criança, quando ficou cego até os dias atuais.
No livro encontramos fotos da família, de amigos, de eventos como formatura, casamento e foto da instituição onde o advogado foi alfabetizado pelo métido Braile e estudou em regime de internato até a maioridade.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Contar a história de vida de uma pessoa que se encontra entre nós, não é tarefa das mais fáceis, mas é compensatório. Foi uma experiência que me trouxe momentos de reflexão, principalmente por ter sido relatada, quase que na sua totalidade, pelo personagem central da história.
A maior dificuldade encontrada foi a isenção. Somos amigos e temos muitas coisas em comum.
Ir à cidade onde o personagem nasceu e passar um Domingo com alguns de seus familiares, principalmente sua mãe, foi gratificante.
Escrever esse livro, Os Olhos da Alma – uma trajetória de superação – oportunizou-me conhecer outra face do jornalismo: a literária. A história de vida de uma pessoa, de um rio, de uma cidade, de um animal é um elemento, um produto jornalístico, é muito mais do que uma notícia, é uma valiosa informação e não tem prazo de validade.

Tarefas realizadas:

Entrevistas
por Noé dos Reis Maia

Fotografias
Por Danielle Maia (Jornalista)