O Perfil do Engenheiro Civil do Seculo XXI

O Perfil do Engenheiro Civil do Seculo XXI

RESUMO
É essencial para o engenheiro ter uma visão ampla do mundo, e reconhecer que nos dias de hoje, sua atuação é de extrema importância na sociedade, expandindo um mercado de trabalho que atualmente encontra-se super favorecido para os profissionais dessa área. Sem importar sua especialidade, o engenheiro deve estar diretamente ligado e empenhado com o amanhã da sociedade. Busca-se no presente artigo analisar as entrelinhas que satisfazem a comodidade humana, bem como a do próprio profissional. Além disso, aponta-se como deve ser a formação de engenheiros socialmente responsáveis tendo como base as habilidades necessárias para conquistar um excelente papel profissional. Através dessa analise podemos perceber, que o maior desafio para esta profissão é reduzir custos e garantir qualidade, e que a prática é indispensável para um engenheiro obter um bom desempenho.

Palavras-chave: Engenharia. Mercado de trabalho. Responsabilidade.

1 INTRODUÇÃO
O ramo da engenharia, tanto social quanto econômico, acabou alterando-se de forma muito significativa desde a concepção dos cursos dedicados à sua formação, que ocorreu no final do século XVIII. Esse tipo de mudança acabou acelerando ainda mais nos últimos anos, devido a fatores ligados as novas tecnologias, como aos cuidados com os impactos ambientais e sociais que passaram a afetar essa profissão.

O mercado de trabalho atual lembra uma valorização cada vez maior do profissional dessa área. Esta importância exige dos engenheiros um amplo sentido de responsabilidade e de ética, pois na pratica a profissão se utiliza de uma alta quantia de recursos naturais. Por esse motivo, o setor domina um importante papel na preservação do meio ambiente.

O objetivo deste trabalho é trazer uma abordagem do papel do engenheiro nos dias de hoje, bem como averiguar como esta o mercado de trabalho atual para esta profissão e o desafio do engenheiro para construir com conforto e responsabilidade ambiental.

2 PERFIL PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO CIVIL
O engenheiro deve proporcionar um aspecto proveniente de uma formação humana, crítica e reflexiva, e ser capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, considerando seus aspectos políticos, sociais, ambientais e culturais, atendendo às necessidades do ser humano e do meio que o cerca.
De acordo com Cremasco (data,pag) a Legislação Brasileira (resolução 11/2002, da Câmara de Educação Superior), define as seguintes competências e habilidades para o engenheiro:

* Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais em engenharia;
* projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
* conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
* planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;
* identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
* desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
* supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;
* avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
* comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
* atuar em equipes multidisciplinares;
* compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissional;
* avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental;
* avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
* assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

Desse modo, o profissional que atuar nessa área, devera ter capacidade para, interpretar, desenvolver, projetar, supervisionar, gerenciar e executar todas e quaisquer atividades que esteja ligada a sua especialidade, buscando cada vez mais conhecimentos em áreas especificas interligadas direta ou indiretamente aos campos da engenharia com respeito, e ética para com o próximo e o ambiente em toda a sua dimensão.

3 MERCADO DE TRABALHO
O mercado de trabalho para os engenheiros civis vem crescendo no País, graças à forte expansão da construção civil e de obras de infra-estrutura. A formação em engenharia é reconhecida em todo o mundo, e como retribuição vem a valorização. Na alta gerência das maiores empresas do mundo sempre existiram engenheiros em posição de destaque.

Em matéria publicada no Jornal.... (data,) o coordenador do curso de Engenharia Civil da Faculdade do Futuro (FAF), Djalma Santos Neiva, afirma que o Brasil vive um excelente momento da engenharia civil, pois é um período atraente, que oferece muitas oportunidades para estes profissionais. Existem diversas oportunidades em todas nas áreas de tecnologias e as melhores oportunidades desse campo estão em função do déficit habitacional que existe no país e na falta de estrutura. Segundo Djalma, faltam colégios e hospitais no país e, em relação a obras públicas, existe muita demanda destes profissionais.

As novas exigências do mercado de trabalho pedem um profissional com um bom relacionamento interpessoal, capacidade de liderança e de trabalho em equipe.

4 COMPROMISSO COM A SOCIEDADE
A grande concorrência do mercado da engenharia civil tem levado os profissionais a criarem estruturas feitas por peças mais leves, de melhor qualidade e com despesas menores, afinal um dos maiores desafios do engenheiro nos dias de hoje é construir com conforto e responsabilidade. Desse modo encontra-se alguns problemas com as vibrações em pisos. Por isso deve-se analisar em pisos de edificações qual é o nível do conforto humano, se baseando no caminhar das pessoas. O modelo estrutural consiste em um piso misto (aço-concreto), e as vibrações têm sido consideradas pelas atividades humanas, tais como andar, pular, dançar, entre outras atividades físicas. Podem-se ainda incluir na analise, algumas características como idade, peso, sexo, tipo de calçado, etc. (MELLO et al.,2007).
Segundo estudo de Mello et al. (2007),

Inicialmente, são obtidos as freqüências naturais e os modos de vibração dos modelos para, em seguida, obter-se a resposta dinâmica dos pisos em termos de uma análise crítica de suas acelerações máximas (pico). Os resultados numéricos são obtidos a partir do desenvolvimento de um modelo computacional, via método dos elementos finitos, com o emprego do programa ANSYS.

Diante disso, é importante seguir os parâmetros estabelecidos na NBR 8800/2008 (Norma Brasileira), que sugere:

Nos pisos em que as pessoas caminham regularmente, como os de residências e escritórios, a menor freqüência natural não pode ser inferior a 4 Hz. Essa condição fica satisfeita se as vigas não for superior a 20mm.
Nos pisos em que as pessoas saltam ou dançam de forma rítmica, como os de academia de ginástica, salões de dança, ginásios e estádios de esporte, a menor freqüência natural não pode ser inferior a 6 Hz, devendo ser aumentada para 8 Hz caso a atividade seja muito repetitiva, como ginástica aeróbica. Essa condição fica satisfeita se as vigas não for superior a 20mm.

Vários pisos analisados apresentaram problemas referentes a conforto humano, quando submetidos ao caminhar de pessoas e que este mesmo caminhar pode vir a gerar níveis elevados de vibração sobre os pisos, satisfazendo ou não os critérios da comodidade humana.

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
MELLO, Antonio Vicente de Almeida et al. Estudo do conforto humano em pisos mistos: aço–concreto. Ouro Preto: Rem: Rev. Esc. Minas, v. 60, n. 2, Abr./Jun./2007. Disponível em: . Acesso em: 24 Abr. 2012.

CREMASCO, Marco Aurélio. A Responsabilidade Social na Formação de Engenheiros. Disponível em: . Acesso em: 24 Abr. 2012.

DIÁRIO de Manhuaçu. Engenharia civil: faltam profissionais no mercado. 12 abr. 2012. Disponível em: Acesso em: 24 abr. 2012.

NBR 8800/2008. Norma Brasileira. Disponível em: Acesso em: 24 abr. 2012.