As Metamorfoses do Mundo do Trabalho: Da Degradacao as Competencias

As Metamorfoses do Mundo do Trabalho: Da Degradacao as Competencias

Paper apresentado à disciplina Sociologia das Organizações do Curso de Administração da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, como requisito para obtenção da segunda nota, ministrada pela Ms. Maria do Perpetuo Socorro Fortes Braga e Silva.

RESUMO
Desempenho requerido ao profissional administrador nas organizações da atualidade. Ressalta as habilidades e competências necessárias a uma boa atuação do administrador em qualquer organização e nível organizacional, de modo a analisar a importância do uso eficaz de cada um desses processos, especificando-os. Mostra as exigências do mundo competitivo perante as mudanças observadas na organização atual. Caracteriza o profissional competente e habilidoso na área da Administração.

Palavras-Chave: Administrador. Competências. Habilidades.

1 INTRODUÇÃO
Administrar é um processo pelo qual o administrador precisa desenvolver determinadas funções para a realização de objetivos, através da aplicação adequada de recursos que lhe foram disponibilizados, visando o desenvolvimento da organização que atua.
Atualmente, percebe-se, de forma nítida, o quanto a competitividade exige do profissional administrador e, ao mesmo tempo, oferece oportunidades, uma vez que lhe permite mostrar a importância do uso eficaz de suas habilidades e competências, que fazem parte das funções imprescindíveis do administrador e que, por conseguinte, proporciona velocidade na identificação e resolução de problemas, e que vão desde a visão sistêmica no seu ambiente de trabalho até o domínio na execução e supervisão de tarefas especializadas.
A adequação desse profissional nas organizações auxilia as mesmas no desenvolvimento de metas inovadoras em reação aos concorrentes. Logo, é necessário saber que para o administrador ser bem-sucedido necessita aprender a trabalhar com pessoas e para pessoas. São essas e outras características que serão destacadas no decorrer do trabalho,

*Acadêmica do 4º período do Curso de Administração da UNDB.
enfatizando e identificando, continuamente, as competências e habilidades do administrador Afinal, o sucesso de uma organização depende de uma excelente administração.

2 O PROFISSIONAL ADMINISTRADOR: suas competências e habilidades
O desempenho do profissional administrador está intimamente ligado ás competências que a ele foram exigidas para obtenção de determinados resultados. Essas competências são capacidades, que se relacionam a habilidades inerentes ou não de um administrador, pois é algo que pode ser adquirido através de experiências cotidianas – do convívio social – ou pelo conhecimento proveniente de um meio especifico para determinada finalidade. Segundo Chiavenato (2004, p. 5):

O administrador dá direção e rumo às organizações, proporciona liderança às pessoas e decide como os recursos organizacionais devem ser arranjados e aplicados para o alcance dos objetivos da organização. Essas atividades se aplicam [...] ao administrador situado em qualquer nível da organização.

Quanto às competências necessárias a esse profissional, Chiavenato (2004, p.20) diz que “[...] o administrador - para ser bem-sucedido profissionalmente – precisa desenvolver três competências duráveis: o conhecimento, a perspectiva e a atitude”.
Com base nessa afirmativa, pode-se afirmar que o Conhecimento refere-se a todas as idéias, experiências e aprendizado específico, ou não, que uma pessoa possui, sendo o mesmo reciclado continuamente, à medida que há a necessidade de obtenção de conhecimentos novos e mudança, pois é algo renovável, que permite ao administrador, especificamente, a possibilidade de atualizar-se e contribuir efetivamente com sua empresa de modo geral e seu setor de atuação.

Nenhuma dessas competências, citadas por Chiavenato, possui significado produtivo se forem exercidas isoladamente, e é por isso que a Perspectiva vem proporcionar a prática do conhecimento, a realização do mesmo com base na visualização de objetivos. É uma competência que está relacionada à intuição, para auxiliar o administrador na identificação e resolução de problemas. A perspectiva permite ao mesmo trabalhar com maior êxito, uma vez que consegue fazer uso do conhecimento que ele detém, pois possuir conhecimento difere de saber usá-lo/transmiti-lo.
No entanto, a Atitude é uma ferramenta usada para reforçar a eficiência e eficácia do administrador, pois a falha de uma dessas competências implicará na sua incapacidade em desempenhar as funções administrativas. A capacidade de proporcionar mudanças, trabalhar com pessoas a fim de se alcançar resultados promissores, voltados para a empresa, estar empreendendo, de forma contínua, usando a criatividade para inovar e conseguir destaque da sua organização no ambiente competitivo atual faz parte do bom desempenho da atitude, considerada a mais importante das três competências, mas que não consegue ser trabalhada isoladamente.

As habilidades são conhecimentos específicos aplicados em uma atividade para a realização de objetivos; são utilizadas de acordo com o nível organizacional que o administrador atua, em maior ou menor proporção, dependendo da necessidade de utilização das mesmas.
“Embora os administradores precisem de muitas habilidades individuais, [...], elas são agrupadas em três categorias: habilidades técnicas, habilidades interpessoais e de comunicação e habilidades conceituais e decisórias”. (KATZ, 1974, apud BATEMAN; SNELL, 1998, p.36).
As habilidades técnicas estão relacionadas à execução de atividades especializadas, do cotidiano profissional, resultado de um conhecimento técnico adquirido para determinada finalidade dentro de uma organização. É a habilidade que está ligada ao trabalho específico, seja qual for a área de atuação de um profissional.
As habilidades interpessoais e de comunicação, também conhecidas como habilidades humanas, referem-se ao modo de se relacionar com as pessoas, transmitir e receber informações, interagir e comunicar-se com todos os níveis organizacionais. É uma habilidade fundamental a todo administrador, pois é através de pessoas que metas podem ser alcançadas e resultados podem ser otimizados.
Enquanto isso, as habilidades conceituais baseiam-se numa visão sistêmica, que abrange a empresa de uma forma geral, em que o administrador faz uso do conhecimento para analisá-la e, assim, propor metas e planos. É uma habilidade abrangente, que está relacionada ao nível estratégico, mais exigida aos altos executivos, que necessitam reconhecer e resolver distúrbios e tomar decisões corretas, além de alcançar resultados a longo prazo, ao contrário do profissional que usa a habilidade técnica para tomar decisões a um curto prazo. Requer muita responsabilidade do administrador, que lida tanto com o ambiente interno quanto externo da organização.
Além das habilidades definidas por Katz, é necessário ressaltar que “todo administrador deve procurar entender como surgem e qual padrão seguem as inovações tecnológicas” (MAXIMIANO, 2000, p.102).
O investimento em equipamentos de alta tecnologia nas mais diversas organizações tem como objetivo fazê-las crescer e acompanharem o ritmo da competitividade, além de facilitar o trabalho do administrador.
O uso eficaz de tecnologia dentro de uma organização para a realização de uma ou mais atividades, visando redução de custos na produtividade e melhor aproveitamento de tempo, exige do administrador a habilidade de lidar com inovações tecnológicas, percebê-las e implementá-las dentro de sua empresa, buscando, sempre o desempenho efetivo da mesma.
Enfatizar a criatividade, no que diz respeito a habilidades, faz-se essencial à vida de profissional de um administrador, que sabendo usá-la pode o tornar mais competitivo, empreendedor e inovador, proporcionando, sempre, mudanças proativas a todos, oportunizando, assim, a proposta de novos modelos de gestão. E aquele que usa todas as habilidades requeridas a uma excelente atuação no mercado atual é considerado um administrador completo.
De maneira mais ampla, Fayol (1978, apud MAXIMIANO, 2000) dividiu as funções do administrador em quatro: planejamento, organização, direção e controle, para que haja crescimento e desenvolvimento do seu ambiente de trabalho.
O planejamento refere-se à definição de metas e missão de uma empresa, enquanto a organização abrange a divisão de tarefas e disponibilização de recursos para a realização dos planos desenvolvidos. A direção está relacionada à motivação de funcionários para a obtenção de resultados otimizados, envolvendo orientação através do uso da liderança e o controle, por fim, vem auxiliar na verificação do uso desses recursos e de tarefas propostas ao administrador, para que possa ser feito a correção de algo que não estava envolvido no planejamento e na organização de objetivos.
O profissional da área de administração faz uso de competências e habilidades para que o rendimento de suas habilidades e sua empresa possa ser maximizado, havendo a necessidade de boa aplicação das mesmas de forma que tal organização consiga sobressair-se perante as demais, além de manter seu diferencial interno, o que implica na flexibilidade e participação interativa dos funcionários no todo, no que diz respeito à tomada de decisões de qualquer organização.

3 CONCLUSÃO
Percebe-se que toda atividade, profissional ou não, requer capacidades, tais como: planejar, organizar, dirigir e controlar, ou seja, o processo de administrar e tomar decisões, que envolvem a utilização de recursos disponíveis para o alcance de objetivos, torna-se algo rotineiro na vida de todas as pessoas.
Através do uso efetivo de suas competências e habilidades, o administrador pode ser classificado como completo, pois esses são os meios que o identificam como um bom profissional diante das necessidades das organizações modernas, que exigem cada vez mais desses profissionais, uma vez que a competitividade, juntamente com a evolução tecnológica, cresce continuamente.
O administrador da atualidade deve estar em contínua fase de aprendizado, para que possa desempenhar sua habilidade de relações humanas, no sentido de comunicar-se e lidar com pessoas, usar o raciocínio lógico e bom-senso para controlar distúrbios, ter uma visão crítica dentro e fora da organização, buscando o aperfeiçoamento e compreensão do todo administrativo.
São as habilidades e competências exigidas ao administrador, citadas ao longo desse trabalho, que o competem administrar com excelência as organizações atuais, cabendo a ele não estagnar-se e, sim, adequar-se às constantes mudanças do mundo empresarial.

REFERÊNCIAS
BATEMAN, T. S.; SNELL, S. A. Administradores e Organizações. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas, 1998. Cap. 1, p. 26-43.

CHIAVENATO, I. Natureza e os Desafios Atuais do Administrador. Administração nos Novos Tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. Cap. 1, p. 3-28.

MAXIMIANO, A. C. A. Organizações e Administração. Introdução à Administração. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2000. Cap.3. p. 89-112.