Função Social da Escola

Função Social da Escola

RESUMO
Este trabalho é centrado na função social da escola, como era no passado e no presente. Hoje em dia, investe-se mais em qualidade e especialização dos grupos gestores, pedagógicos e professores, que são os grandes responsáveis pela educação em nosso país. Trabalha-se para que os interesses dos educadores e alunos tenham um só propósito, que é a socialização de todos sem distinção de cor, credo ou classe social. Constata-se através de pesquisas em escola publica que a função social da escola, vem a passos lentos melhorando, provavelmente, por má vontade política.
Palavras-chave: Escola; Social; Educação.

1 INTRODUÇÃO
As desigualdades que atingem o Brasil, tanto nos aspectos sociais quanto nos aspectos econômicos e culturais, não são mais novidades.
Nesse contexto: Dissemina e reforça que a educação é o fator determinante para a solução dos problemas.
Faz-se necessário pensar cautelosamente sobre a função social da escola, para que a mesma forme cidadãos gestores de informação e não meros acumuladores de dados.
Neste trabalho explanamos sobre reflexões e constatações do que vem acontecendo no nosso ensino, colocando a importância dos papeis de gestores, equipe pedagógica, professores baseando-se em pesquisas e entrevistas em escolas publicas.

FUNÇÃO DA ESCOLA NO PASSADO
A escola é um lugar que oportuniza, ou deveria possibilitar as pessoas à convivência com seus semelhantes (socialização). De acordo com texto do PROGESTÃO – Módulo 1 (2001, p. 23):

As melhores e mais conceituadas escolas pertenciam à rede particular, atendendo um grupo elitizado, enquanto a grande maioria teria que lutar para conseguir uma vaga em escolas públicas com estrutura física e pedagógica deficientes.

O país vem passando por varias mudanças no que se refere ao funcionamento e acesso da população brasileira ao ensino público, em tempos atrás em um passado recente, poucas pessoas tinham a oportunidade de estudar, somente os de alto poder aquisitivo e ainda de preferência para os homens, as mulheres tinham poucas chances, pois as mulheres deveria ser preparadas somente para cuidar do lar.

FUNÇAO SOCIAL DA ESCOLA PUBLICA
Ter clareza da função social da escola e de homem que se quer, é fundamental para realizar uma prática pedagógica competente e socialmente comprometida, particularmente, num país de uma pluralidade cultural tão vasta.

Formar o cidadão não é tarefa apenas da escola. No entanto, a escola tem grande responsabilidade nessa formação, pois recebe crianças e jovens que já possuem uma história de vida, e necessitam aprimorar seus conhecimentos para poderem desenvolver expectativas e projetos em relação ao conjunto da sociedade.

É necessário, portanto, que a escola traga para dentro de seus espaços o mundo real, e que os professores trabalhem situações que tenham ligação com este mundo, compreendendo o tempo presente, com seus problemas e necessidades, gerando alternativas humanizadoras.

Dentro dessa visão, os programas devem ser flexíveis para permitir novos arranjos ao longo de sua execução, propiciando a exploração de temas novos e significativos, pelos professores e alunos, tendo sempre como meta o enriquecimento dos conteúdos curriculares, a discussão em classe, a socialização e a aquisição de novos conhecimentos e habilidades.

FUNÇAO DA EQUIPE PEDAGOGICA
A atuação da equipe pedagógica é de suma importância para se obter um ensino de qualidade. È preciso que o pedagogo não fique somente coibindo indisciplinas dos alunos, ou que ele fique na parte burocrática, assim deixando o professor desassistido. Precisasse de uma equipe pedagógica que de suporte ao professor, que o ajude efetivamente a melhorar a qualidade de ensino. pois atualmente, ou desde sempre temos principalmente na rede publica muitos professores que atuam sem qualificação, ou em áreas diferente da sua especialização, e ainda professores que estão iniciando sua carreira que não obtiveram ainda experiência que precisam de apóio para adquirem confiança para realizarem um bom trabalho pedagógico.

FUNÇÃO DO PROFESSOR
Ao professor compete a responsabilidade de favorecer a o aluno que ele compreenda o que lhe esta sendo ministrado. Facilitando assim o seu aprendizado. Conduzir a aula de forma que o aluno participe também, questionado, sugerindo expressando suas idéias, interagindo junto com o professor. Assim tornado alunos ativos e criativos, com idéias próprias, e não meros figurinistas.

O planejamento das aulas é de suma importância para o bom andamento das mesmas. O professor deve ter uma seqüência lógica para que o aluno não se perca no caminho e para que ele se interesse na aula. Porque quando o professor não planeja, não se prepara, o aluno percebe e ai começa a indisciplina e a falta de interesse.

Um planejamento bem feito contextualizado com as vivencias do aluno, prendera sua atenção e tornara a aula prazerosa, assim o professor conquistara grandes avanços, com uma interação que é necessária.

FUNÇAO DO GESTOR ESCOLAR
A forma que o gestor organiza e gere a instituição de ensino terá influencia direta na qualidade educacional. Quando o gestor traça um bom plano de trabalho com clareza e que venha de encontro com os interesse da escola, primando para sanar os problemas ali existentes e garanta a seriedade de um trabalho, criara um clima harmonioso a onde todos os funcionários, professores e alunos terão prazer em interagir.

ESCOLA PUBLICA ESTADUAL
Pesquisou-se sobre a escola pública estadual buscando em seu PPP e professores, qual a proposta da escola a contexto da função social.
Constatou-se que a escola tem um PPP bem elaborado, e assim confrontou-se com a realidade, através de um questionamento com professores.
Sobre conteúdos básicos, o PPP é bem claro referente a esse assunto. Coloca uma lista de conteúdos básicos que o aluno deve aprender em sua passagem pela escola em todos os seus graus.

Em questionamento com o professor contatamos que o mesmo conhece bem os conteúdos que devem ser repassados, mais na realidade não é bem assim.

Há uma grande dificuldade em passar o básico para os alunos,pois a questões que atrapalham como: falta de infra-estrutura, a onde encontramos em algumas salas quase 50 alunos se tornado impossível um ensino de qualidade.
Sobre o sistema de avaliação, no PPP da escola constam: Lei no 9394/96 (LDB); Lei Complementar 170/98; Diretrizes da SED, Resolução nº 023/2000 e Resolução n° 158/08 Conselho Estadual de Educação.

No questionamento ao professor sobre o sistema de avaliação, constatou-se algo interessante, ele responde:
“A avaliação é um instrumento que permite orientar o professor na sua prática docente e assim efetuar os ajustes necessários aos objetivos propostos para determinado tema, portanto ela deve ser diagnóstica e um processo constante e cumulativo. (professor entrevistado da escola pública estadual)”
Sobre o conselho de classe, tanto no PPP, quanto na resposta do professor encontrou-se praticamente os mesmos itens e metas. Entretanto, o professor relata que os pais muitas vezes não cumprem com suas obrigações, acompanhando os filhos, aconselhando, enfim ajudando na educação.
Simplesmente “largam” esta função somente para a escola, dificultando muito o trabalho do professor. Relata o professor também que “é feito um trabalho de conscientização dos pais da importância do acompanhamento de seus filhos na escola”.

Sobre a recuperação paralela o referido professor, informa que é uma questão que sofre influência, quando relevamos a questão da maturidade psíquica do aluno.
Muitos alunos, aproveitam a recuperação com o intuito de aprimorar-se, outros como alternativa, quando não estudam.
Com relação ao sistema utilizado, (ciclo ou série) o professor conhece apenas o seriado, sistema utilizado pelo estado.
Foi indagado sobre a inclusão na escola e se a mesma está preparada. A resposta é mesma discutida em sala de aula:
“infelizmente ainda não existe políticas adequadas para atender a demanda, tampouco preparação dos professores” (professor entrevistado da escola pública estadual).
E sobre a relação aluno professor, foi respondido num aspecto geral, onde o professor tem a função de preencher, em algumas situações, lacunas das relações interpessoais.
“em sumo o convívio - atividades e tarefas complementares além da leitura direcionadas também são usadas, o que as vezes os alunos não tem em casa. (professor entrevistado da escola pública estadual)”

CONCLUSÃO
O papel da escola, pensando em função social precisa ser não somente trabalhar o conhecimento sistematizado, aquele científico que está posto no currículo, mas trabalhar em conjunto o currículo e os valores que por ela são transmitidos.

Hoje em dia, infelizmente, encontramos muitas deficiências em nossas escolas, alunos que saem formados, mais totalmente despreparados para enfrentar uma sociedade cada vez mais competitiva. Então me pergunto: Má gestão pedagógica? Ou talvez política? No texto me referi a escola no passado, aonde o direito de estudar era para poucos. O que mudou? Podemos hoje ter vagas nas escolas, mais a qualidade, onde está? Até quando vamos brincar de “faz de conta”, quando o professor faz de conta que ensina e o aluno faz de conta que aprende, apenas para não reprovar e piorar as estatísticas, para que políticos corruptos se elejam e reelejam em cima de mentiras. Mais fácil iludir um povo mau instruído, que um povo culto.

REFERENCIAS
PENIN, S. T. S.; VIEIRA S. L.; MACHADO M. A. M. l. Progestão: como articular a função social da escola com as especificidades e as demandas da comunidade?Brasília: Consed, 2001. (Módulo 1)
.
FUSINATO, R. Entrevista concedida a Jorge Venturi. Salete 20 abr 2010.