Estruturas de Meracado

Estruturas de Meracado

As estruturas de mercado são os modelos de como os mercados são organizados. Cada estrutura de mercado baseia-se em hipóteses e características observadas da interação da oferta e da demanda, baseando-se em características observadas em mercados existentes.
A partir da demanda e da oferta de mercado são determinados o preço e quantidade de equilíbrio. Estes dependerão da particular forma ou estrutura desse mercado, ou seja, se ele é competitivo, com muitas empresas produzindo um dado produto, ou uma única empresa. (http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAeWYAD/estruturas-mercado).
As varias estruturas de mercado são diferenciadas por três fatores principais: (http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAeWYAD/estruturas-mercado).
1) Número de empresas existentes que atuam no mercado;
2) Diferenciação dos produtos, se essas empresas fabricam produtos similares, idênticos ou diferenciados;
3) Se é fácil a instalação ou existem barreiras que impedem a criação de novas empresas no ramo;
De acordo com a fonte http://www.coladaweb.com/economia/estruturas-de-mercado, no mercado de bens e serviços, as formas e mercado, segundo essas três características, são as seguintes: concorrência perfeita, monopólio, concorrência monopolística (ou imperfeita) e oligopólio. No mercado de fatores de produção, é definido as formas de mercado em concorrência perfeita, concorrência imperfeita, monopólio e oligopólio no fornecimento de insumos.
O texto de Estruturas e Regulamentação do Mercado diz que existem diferen¬tes formas de mercado de bens e serviços. As principais são:
a. Concorrência perfeita.
b. Monopólio.
c. Concorrência monopolista.
d. Oligopólio.
O autor Paulo Nunes (2007) diz que existem Estruturas de mercado de concorrência perfeita, onde “nenhuma empresa e nenhum consumidor têm poder suficiente para influenciar o preço ou a quantidade transacionada” e concorrência imperfeita, que corresponde a uma estrutura de mercado em que não se verifica a concorrência perfeita. Nela, segundo ele “existe pelo menos uma empresa ou consumidor com poder suficiente para influenciar o preço de mercado”. Cita como exemplo os monopólios, oligopólios e concorrência monopolística.
CONCORRÊNCIA PERFEITA
No mercado em concorrência perfeita existem inúmeros vendedores e compradores. É uma situação em que nem o mercado nem o consumidor conseguem interferir ou influenciar nos preços das mercadorias, pois não afetam os níveis oferta do mercado e, conseqüentemente, o preço de equilíbrio
(http://faculdadearapoti.com.br/site/material/uploads/MATERIAL%204%20PARA...).
De acordo com o texto de Estruturas e Regulamentação do Mercado,

a Concorrência perfeita é uma formulação irreal (ou seja, uma concepção ideal), porque os mercados altamente concorrenciais não existem, na realidade são apenas aproximações desse modelo. Não obstante, é útil como aproximação para descrever o funcionamento econômico de muitas realidades complexas.

Fontes do site
http://arquivos.unama.br/nead/gol/gol_adm_2mod/economia_de_emp/pdf/EE_im..., complementam dizendo que a Concorrência perfeita “visa descrever o funcionamento ideal de uma economia, servindo de parâmetro para o estudo das outras estruturas de mercado. Trata-se de uma construção teórica”.
Há algumas hipóteses básicas para o modelo de concorrência perfeita. Que são:
a) Existe um grande numero de compradores e vendedores: Existe um número tão grande de compradores e vendedores, sendo cada comprador ou vendedor tão pequeno em relação ao tamanho do mercado. Neste caso, o mercado é chamado de atomizado, ou seja, com infinitos vendedores e compradores (como “átomos”), que nenhum deles, atuando isoladamente, consegue influenciar o preço da mercadoria (Estruturas e Regulamentação do Mercado).
b) Os produtos elaborados são homogêneos: ou seja, são substitutos perfeitos entre si; dessa forma não pode haver preços diferentes no mercado, fazendo com que os compradores sejam indiferentes quanto à firma da qual eles irão adquirir o produto; (Aula 9: estruturas de mercado).
c) Não existem barreiras (obstáculos) à entrada e saída de firmas neste mercado. Essa hipótese é conhecida como livre mobilidade. A entrada e saída de firmas no mercado são totalmente livres, não havendo barreiras legais e econômicas. “Isso permite que firmas menos eficientes saiam do mercado e que nele ingressem firmas mais eficientes” (http://faculdadearapoti.com.br/site/material/uploads/MATERIAL%204%20PARA...);
d) Transparência de mercado:
Esta hipótese garante tanto aos compradores quanto aos vendedores terem informação perfeita sobre o mercado: ambos conhecem a qualidade do produto e seu preço vigente. Os vendedores conhecem também os custos e lucros de seus concorrentes. Assim é que, pelo fato de inexistir desinformação, nenhum comprador estará disposto a adquirir um produto por um preço superior ao vigente; pelo mesmo motivo, nenhum vendedor estará disposto a vender seu produto por um preço inferior ao de mercado. (Aula 9: estruturas de mercado).

Vasconcellos(2010) estabelece mais algumas hipóteses para esse modelo.
e) Racionalidade: onde os vendedores maximizamos lucros e os compradores as satisfações. Eles agem racionalmente.
f) Mobilidade de bens: não existem custos com transportes. Um consumidor La do Nordeste não paga mais do que um de Santa Catarina. A localização geográfica não importa neste caso.
g) Inexistência de externalidades: ou economias externas. “Supõem-se que neste modelo nenhuma empresa influi no custo das demais e nenhum consumidor afeta o consumo dos demais”;
Essas hipóteses refletem em um mercado pouco realista. Ela serve de base para a construção de modelos mais próximos da realidade.
Se a empresa colocar um preço mais alto do que o do mercado, perderá a procura pois os clientes sabem das ofertas existentes e comprarão mais barato das outras empresas.. Por outro lado, se a empresa colocar um preço mais baixo do que o de mercado, não terá lucro e assim resistirá por pouco tempo, podendo gerar prejuízos futuramente. Deste modo, sua curva de demanda é horizontal, pois a empresa não poderá vender seus produtos a um outro preço.

Como exemplo desta estrutura de mercado, temos o mercado de produtos hortifrutigranjeiros como ovos, verduras etc. (Estruturas e Regulamentação de mercado).

MONOPÓLIO

É uma estrutura de mercado extrema com concorrência imperfeita, caracterizada pelo fato de que o produto ou serviço transacionado nesse mercado é oferecido por uma única empresa. Sendo que ela tem o poder para, sozinha, determinar o preço do produto. (Paulo Nunes, 2007) ou seja, o monopolista é o formador de preço. Os consumidores não possuem alternativas senão comprar do monopolista a preços muito altos. O preço sempre será maior do quem em concorrência perfeita. Isso faz com que o monopolista opere sempre com lucros extraordinários (fontes do site http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA eWYAD/estruturas-mercado).
Segundo Vasconcellos, 2010,uma estrutura de mercado Monopolista possui três características principais:
a) Uma única empresa produtora do bem ou serviço: ela é a única que produz o bem e é a única que vende, não tendo concorrência.
b) Não há produtos substitutos próximos: ou seja, o monopolista enfrenta pouca ou nenhuma concorrência.
c) Existem barreiras à entrada de firmas concorrentes:
Para que o monopólio exista é preciso manter concorrentes em potencial afastados da indústria. Isto significa que devem existir barreiras que impeçam o surgimento de competidores, protegendo, dessa forma, a posição de monopolista. Estas barreiras fazem com que seja muito difícil (ou praticamente impossível) a entrada de novas firmas na indústria (Aula 9: Estruturas de Mercado).

Ainda de acordo com Vasconcellos(2010), as barreiras que impedem o acesso de novas empresas ocorrem de várias formas:
1) Monopólio puro ou natural: ocorre por causa da alta escala de produção, que exige um elevado montante de investimentos. Se uma empresa monopolista já está a bastante tempo no mercado, seus custos já são reduzidos, uma nova empresa que quer entrar no mercado não vai conseguir competir com esta e oferecer um produto com preço equivalente.
2) Proteção de patentes: é um direito único de produzir um bem. Denominada por outras fonte (Aula 9: Estruturas de Mercado) como Barreiras Legais, além de patentes incluem licenças e concessões governamentais.
A posse de patentes dá ao monopolista o direito único de produzir uma particular mercadoria durante um determinado período de tempo. Dessa forma, outras firmas ficam legalmente proibidas de produzirem e venderem o produto patenteado. Nesse sentido, ocorre um efeito semelhante ao controle sobre o fornecimento de matérias primas essenciais, uma vez que impede a entrada de novas firmas na indústria.

Controle sobre o fornecimento de matérias-primas-chaves: Exemplo, o controle das
minas de bauxita pelas empresas produtoras de alumínio, produção de diamantes, etc. Como nos EUA, onde a Alcoa detinha quase todas as minas de bauxita.
3) Tradição de mercado: um novo mercado precisaria investir muito durante muito temo para concorrer com a tradição do mercado monopolista existente.
O monopólio Legal ocorre quando o governo concede a uma empresa um direito exclusivo para ela operar, permitindo que uma única firma produza um determinado produto, acabando com a competição.
O governo, em troca pode fazer exigências com relação à quantidade ou qualidade dos produtos ou cobrando taxas e impondo preços.
Há os monopólios estatais, que são regulamentados e pertencem aos governos Municipal. Estadual e Federal. (Aula 9: Estruturas de Mercado).

Vantagens e desvantagens do Monopólio

Há alguns argumentos positivos do Monopólio, as vantagens da produção em grande escala, como a elevação de rendimento propiciado pelas inovações tecnológicas e a redução dos custos são exemplos. Por um lado, o monopólio pode evitar uma concorrência desleal, há um certo grau de segurança no futuro podendo o monopolista fazer planos a longo prazo com decisões mais racionais.
(texto da fonte http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAeWYAD/estruturas-mercado).
Argumentos negativos dizem que o esta estrutura de mercado prejudica os consumidores que ficam sem escolhas na hora de comprar os produtos, além de pagar um preço mais alto.fontes do site
http://faculdadearapoti.com.br/site/material/uploads/MATERIAL%204%20PARA... ainda dizem que “o monopólio contribui para a desigualdade na distribuição de renda”.
Por um lado o monopólio com as empresas ”pioneiras” impedem a entrada de concorrentes estrangeiros no mercado mas por outro prejudicam as empresas locais.
A Petrobrás no que tange a exploração do petróleo em águas profundas no Brasil. De certa forma, mesmo que a legislação já permita que outras empresas explorem petróleo no Brasil a Petrobrás é grande o suficiente para que, se quisesse controlar o preço dos produtos por ela vendidos poderia.
Paulo Nunes (2007) diz que pelo fato de ser a origem de importantes ineficiências de mercado, os governos têm vindo ao longo dos anos a desenvolver esforços no sentido de evitar ou pelo menos atenuar os efeitos desta forma extrema de concorrência imperfeita. Uma das medidas adotadas é a criação de leis anti-trust que impedem ou dificultam a fixação coordenada de preços ou a divisão do mercado pelos concorrentes. No caso dos monopólios naturais e monopólios criados pelo próprio Estado, são geralmente adotadas medidas de regulamentação dos preços e até mesmos dos resultados das empresas que detêm os monopólios.

CONCORRÊNCIA MONOPOLISTICA

Na concorrência monopolista que também é chamada de concor¬rência imperfeita, as empresas fazem produtos diferenciados, embora substitutos próximos (como diferentes marcas de re¬frigerante, sabonete, cigarro etc). Trata-se de uma estrutura mais próxima da realidade do que a concorrência perfeita. (Estruturas e Regulamentação de Mercado). (Aula 9: Estruturas de Mercado ainda comenta que “ela contém elementos da concorrência perfeita e do monopólio, ficando em situação intermediária entre as duas formas de organização de mercado”. Ela introduz dados novos, como a possibilidade de diferenciação do produto e a alteração dos gostos pela publicidade.
Para Vasconcellos(2010), trata-se de uma estrutura de mercado com as seguintes características:
a) Muitas empresas produzindo dado bem ou serviço: esta apresenta grande número de firmas, cada qual respondendo por uma fração da produção total de mercado;
b) Cada empresa produz um produto diferenciado, mas com substitutos próximos: essa diferenciação é que caracteriza a maioria dos mercados existentes. Na real, cada empresa procura diferenciar seu produto, a fim de torná-lo único.
Dados do texto Aula 9: Estruturas de Mercado complementam dizendo que

A diferenciação, por sua vez, pode ser real ou ilegítima. Na diferenciação real, buscam-se diferenças reais nas características do produto, como composição química, etc.
No caso da diferenciação ilegítima do produto, as diferenças são artificiais, tais como marca, embalagem e design. Em outros casos, pode não haver nenhuma diferença, mas o consumidor pode ser levado a pensar que elas existem, normalmente como resultado de campanhas promocionais que, de maneira artificial, apontam características diferenciadoras entre os produtos.

A diferenciação dos produtos se dá por algumas características:
Vasconcellos afirma que são elas:
Características físicas: Composição física
Potência (HP)
embalagem Design, marca
Promoção de vendas Propaganda
Atendimento
brindes
Manutenção, atendimento pós-venda, etc

c) Cada empresa tem certo poder sobre os preços, constando que os produtos são diferenciados e os consumidores tem opções de escolhas e preferências.
Para o autor do texto (Aula 9: Estruturas de Mercado), existe mais uma característica:
d) Existência de Livre Entrada e Saída de Firmas: não existem barreiras legais ou de qualquer outro tipo que impeçam a livre entrada e saída de firmas no mercado.
Nesta caso, a longo prazo há tendências para lucros normais,e os lucros extraordinários a curto prazo atraem cada vez mais novas empresas para essa estrutura de mercado, aumentando a oferta do produto até chegar os lucros normais.
Em serviços temos, como exemplos desse tipo de mercado, os restaurantes, serviços médicos, odontológicos e outros.
Em produtos temos, como exemplos as diversas marcas de refrigerante, cigarro, sabão em pó “Essas características acabam dando um pequeno poder monopolista sobre o preço de seu produto, embora o mercado seja competitivo (daí o nome concorrência monopolista)” (Estruturas e Regulamentação de Mercado).

OLIGOPÓLIO

“Designa-se por oligopólio a situação de um mercado com um número reduzido de empresas, de tal forma que cada uma tem que considerar os comportamentos e as reações das outras quando toma decisões de mercado” (fontes do site:
http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAeWYAD/estruturas-mercado). Ainda de acordo com ele, nesse tipo de estrutura de mercado, há certa interdependência entre as empresas, as decisões tomadas por uma empresa com relação a preços, marketing ou qualidade dos produto afetam as outras empresas. Ou seja, cada empresa toma em consideração o comportamento de todas as outras, ao tomar as suas decisões.
Ela prevalece nas economias do mundo ocidental (Aula 9: Estruturas de Mercado), já fontes do texto Estruturas e Regulamentação de Mercado afirma que “tal estrutura de mercado é a que prevalece hoje no mundo”. Vasconcellos (2010) admite que há duas formas de definição:
1) Oligopólio concentrado: onde um pequeno número de firmas no setor que controla a oferta de um determinado bem ou serviço. Ex: industria automobilística;
2) Oligopólio competitivo: onde há um pequeno número de firmas que dominam um setor com muitas firmas. Ex: alimentos (Nestlé, Parmalat), bebidas (Brahma, Antarctica e Coca-Cola).
Como exemplos de oligopólio, temos os serviços das empresas de transporte aéreo de passageiros no Brasil. Nesse setor existem poucas e grandes empresas existentes nesse mercado.
De acordo com texto Aula 9: Estruturas de Mercado as estruturas de Oligopólio possuem as seguintes características:
a) Existência de poças firmas, sendo estas independentes. “Uma das maneiras de se verificar uma indústria é um oligopólio e por meio de determinação do índice de concentração da indústria”.
b) Produto homogêneo ou diferenciado: oligopólio homogêneo, também denominado puro é quando os produtos são substitutos perfeitos entre si. Ex: alumínio, cimento; ou então oligopólio diferenciado como exemplo os automóveis.
c) Fortes barreiras à entrada de novas empresas: a existência de patentes que beneficiam os monopólios também existem nos oligopólios. Pode ser considerado barreira também os elevados custos de entrada, a existência de uma escala mínima de eficiência muito elevada, a existência de fortes economias de experiência.
Vasconcellos (2010) ainda afirma que no oligopólio pode-se encontrar duas formas de atuação das empresas:
1) Comportamento não-cooperativo: ocorre concorrência forte entre as empresas surgindo uma guerras de preços e qualidade;
2) Comportamento cooperativo: formam Cartéis (conluios, trustes). Este é uma organização formal ou não de produtores dentro de um setor que determinam a política para as demais empresas dentro do cartel. Fixa preços e divide cotas (repartição) do mercado entre elas.
Quanto a isso, as cotas podem ser:
-Perfeitas: quando todas as empresas tem a mesma participação. O mercado e os preços são divididos igualmente.
-Imperfeitas: existem empresas lideres que fixam cotas mais altas e acabam ficando com a maior cota e as demais empresas concordam em seguir o preço da líder.

Fonte: http://faculdadearapoti.com.br/site/material/uploads/MATERIAL%204%20PARA...

Dados da fonte http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAeWYAD/estruturas-mercado
Mostram que há 4 formas de oligopólio:
a) Cartel: associação entre as empresas onde estas combinam preços e cotas que serão uniformes a todas do grupo; tendem a durar pouco devido ao conflito de interesses que é gerado e impedem o acesso do consumidor a livre-concorrência e atrapalham a economia;
b) Truste: reunião de empresas que são submetidas e controladas por uma união de trustes. Assim surge uma empresa maior e com mais influencia no mercado.
c) Holding: empresa que mantém a posse das ações e controla as outras empresas. É considerada uma forma avançada de capitalismo pois permite uma estrutura controlar investimentos superiores e em até outros países.
d) Conglomerados: união de varias pequenas empresas para tentar dominar determinadas ofertas que geralmente estão sob controle de um Holding. Como exemplo cita-se a Mitsubishi que fabrica desde motos até canetas.

Algumas estruturas de mercado particulares

Monopsônio e Oligopsônio: São as estruturas de monopólio e oligopólio na compra de fatores de produção. Como exemplo, a industria automobilística na compra de auto peças.

Monopólio Bilateral: Na compra e venda de insumo por exemplo, o monopólio bilateral ocorre pelo encontro do único vendedor para o único comprador diretamente. Como um monopsonista na compra de insumo e na venda um monopolista.

Síntese das mais importantes estruturas de mercado